Sexta-feira, 07/04/2011.

Educação - Podemos fazer a diferença.

14 de mai de 2010

Interação: Geografia/História e Artes

Recordando antigos brinquedos

Bilboquê é um brinquedo antigo que consiste em uma esfera de madeira (ou de forma semelhante), com um orifício central, e presa por uma corda numa espécie de suporte. Através do movimento das mãos, esta bola deve ser encaixada no suporte.


Os alunos do 2º/9 desenvolveram uma atividade interdisciplinar juntamente com as professoras Rita e Mirli. Eles construiram um bilboquê com material reciclável. Foi uma aula de aprendizado e muita diversão.

Como fazer:
Para construir um bilboquê você vai precisar de:
• 1 garrafa pet descartável;
• fita adesiva colorida (ou transparente);
• barbante;
• 1 folha de jornal ou revista;
• tesoura
• adesivos ou recortes para enfeitar.

Passo a passo

  • Amasse a folha de jornal ou revista, fazendo uma bolinha. Em seguida, envolva-a com a fita adesiva. Se prefeirir, passe a fita colorida por cima para decorar e ainda usando a fita, prenda o pedaço de barbante à bolinha.
  • Peça a um adulto que corte a garrafa descartável na altura do gargalo, formando uma tacinha. Abra a tampa e prenda a outra ponta do barbante na garrafa.
    Pronto! Agora é só usar a imaginação, decorar o bilboquê e se divertir!










13 de mai de 2010

19 de Abril - Dia do Índio

Os índios merecem todo o nosso respeito, carinho e amor.
Até hoje algumas tribos vivem em aldeias, preservando com garra sua própria raça.
Quando os portugueses aqui chegaram já encontraram os índios vivendo e tomando conta das nossas terras.
Os índios respeitam e preservam a Natureza.
Amam os animais e cuidam com carinho, amor e imenso respeito da nossa fauna e da nossa flora.

Os alunos do 1º/9 mostraram suas habilidades com trabalhos de arte indígena.
O resultado dessa atividade foi uma coleção de paisagens realizadas a partir do papelão, cola e sementes.







Esses são nossos pequenos artistas.

"Um provérbio indígena questiona se somente quando for cortada a última árvore, pescado o último peixe, poluído o último rio, é que as pessoas vão perceber que não podem comer dinheiro."